banner
ck-0367

Honda lança a nova XRE 190 com ABS de série

A Honda XRE 190 foi lançada nesta sexta-feira (5) como a principal aposta da marca para 2016, trazendo ABS de série e custa R$ 13.300 em versão única.

Com a expectativa de ter 32 mil unidades vendida no período de 1 ano, a moto tem como proposta ser um modelo confortável para rodar na cidade, mas também pode encarar trechos de terra, como se fosse um “pequeno SUV”.

ck-0270

Essa capacidade off-road vem de sua linhagem: faz parte da família XRE, que até então tinha apenas o modelo de 300 cc. Integrante da categoria trail, que roda tanto no asfalto como na terra, o modelo se encaixa em um novo segmento entre a Honda Bros 160 e a XRE 300.

Nenhuma outra marca tem motos nesta faixa de cilindrada. “Ouvimos muito os clientes que já têm uma Bros e queriam um ‘upgrade’, mas não conseguiam comprar a XRE 300”, explica Hayato Ikejiri, supervisor de planejamentos da Honda.

ck-0319

Com 3 anos de garantia, a XRE 190 começa a ser vendida em junho com as opções de cores, vermelho, preto e verde, sendo todas perolizadas.

Toda a moto foi feita a partir do zero, afirma a montadora, que já começou a produção em Manaus. O inédito motor flex de rende 16,4 cavalos de potência máxima a 8.500 rpm e 1,66 kgfm de torque a 6.000 rpm.

De acordo com a empresa, o foco do desenvolvimento do motor foi no consumo, apesar de a marca não divulgar os números. Seu tanque é 13,5 litros e o peso a seco da moto é de 127 kg.

ck-0302

Uma novidade que estreia na XRE 190 é o ABS de série para essa faixa de cilindrada. Esta será a moto de menor cilindrada com o sistema à venda no Brasil, já se enquadrando nas futuras regras que exigirão ABS ou CBS, dependendo da cilindrada, para todas as motos no Brasil.

A diferença é que o ABS está presente apenas na roda da frente, enquanto na traseira, o sistema é apenas a disco e simples. A moto possui roda de 17 polegadas na traseira e de 19 polegadas na dianteira. Além disso, os pneus são de uso misto, o que ajuda em deslocamento.

As suspensões são mais longas, quando comparados a modelos 100% urbanos, como as CGs. Na dianteira, a moto tem amortecedores de 180 mm de curso  e, na traseira, o amortecedor é de 150 mm.

Fonte: G1

 

Tags Related
You may also like
Comments

Comments are closed.